Atividade física regular é remédio para dor de cabeça, indica neurologista


Esqueça o quarto escuro e a aspirina. A solução para dor de cabeça pode estar nas salas de academia. Especialistas apontam que a prática regular de atividade física tem o poder de diminuir não só a frequência de crises, mas também suas intensidades. Segundo eles, a liberação de neurohormonios como a endorfina e epinefrina estariam ligados à atenuação da dor.

Entretanto, ressaltam que para diferentes tipos de cefaléia há específicas indicações de exercícios. Saber qual atividade desempenhar pode ser a chave para um corpo mais esbelto, saudável e livre das dores.

Dentre as centenas de possibilidades de dores de cabeças, as do tipo tensional (geralmente, provocadas por estresse, tensão pré-menstrual etc) são as que melhor respondem ao estímulo fitness, sobretudo os aeróbicos.

A neurologista Carla Jevoux, da Sociedade Brasileira de Cefaléia, afirma que, de um modo geral, a prática regular de atividade física reduz as dores de forte para moderadas. No caso específico das cefaléias tensionais, os exercícios atuam sobre a contração dos músculos pericranianos resultando na melhora das dores.

“No caso das cefaléias do tipo tensional, que diferem da enxaqueca por não terem origem genética, os resultados positivos da atividade física são ainda melhores uma vez que os exercícios podem ser benéficos até mesmo durante a dor”.

Muito comum no universo feminino, a enxaqueca carece de cuidados diferenciados, orienta a neurologista. Realizar atividades durante as crises tende a agravar as dores e torná-las mais dolorosas. Entretanto, um cotidiano mais ativo também tende a tornar esse tipo de dor de cabeça mais fraco e episódico.

“Os mecanismos pelos quais esses benefícios ocorrem ainda não são totalmente esclarecidos, mas envolvem não apenas a melhora na produção de endorfinas, mas também humor do paciente, sua auto-estima e a sensação de controle sobre a dor”, esclarece.

O professor e sócio da unidade eTower da Monday Academia, Isaias Rodrigues, explica que esse tipo de exercício atua diretamente sobre o aumento do fluxo sanguíneo no cérebro, auxiliando o processo de diminuição de dor.

“Para as dores de cabeça originadas pela flutuação hormonal, caso da TPM, sugerimos intensas atividades cardiovasculares, como corrida, spinning e aulas em circuitos. Por sua vez, aquelas originadas pela mudança na dieta – muito comum em processos de emagrecimento – sessões de musculação de alta intensidade são mais indicadas. Nesse caso, com no máximo uma hora de duração”.

Para as dores provocadas por estresse, o professor orienta a fazer aulas que facilitam o relaxamento e/ou mudança do foco de atenção. Segundo Rodrigues, aulas de pilates, yoga e alongamento produzem grandes resultados para esse tipo de dor.

Aqueles, contudo, que preferem atividades mais dinâmicas, a sugestão fica por conta das aulas de dança, como jazz e as de salão.

Sociedade Brasileira de Cefaléia

Fundada em maio de 1978, a Sociedade Brasileira de Cefaléia (SBCe) surgiu com o intuito de congregar profissionais atuantes nesse segmento da neurologia, bem como difundir informações acerca da doença que acomete milhões de pessoas em todo o mundo. Em contínuo crescimento no número de associados, a SBCe promove congressos, simpósios, além do acompanhamento e divulgação de novos estudos.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s